É provável que você já saiba que a nossa Mente é formada principalmente na nossa primeira infância. O que eu quero dizer é que a forma como você enxerga o mundo hoje está diretamente relacionada à forma como o seu cérebro foi programado até agora.

O que você é hoje é decorrente de como você viveu até agora… é a Lei da Semeadura, que diz que nós aquilo que plantamos. E para as Leis do Universo não há argumentos. Elas acontecem e ponto.

O que você precisa saber é que você pode mudar isso!

Você pode criar a vida que você quer!

Você pode reprogramar o seu cérebro!

Como Nossa Programação Mental é Formada

Desde que nascemos recebemos programações. Nós chegamos ao mundo com uma máquina praticamente vazia, tudo o que tem lá são as sensações de quando estávamos na barriga da nossa mãe. Então desde pequeninos nós somos influenciados por aquilo que vemos, ouvimos e sentimos das pessoas que estão ao nosso redor.

Cuidado! Você participa ativamente na programação mental dos seus filhos.

É a nossa mentalidade que determina o nosso sucesso ou fracasso em qualquer área de nossa vida.

Em resumo há 3 formas de programação Mental

  1. A programação verbal: Tudo o que você ouviu repetidamente no decorrer da sua vida cria a sua visão do mundo.
  2. A programação visual: Os pais são como modelos para a mente de uma criança que está em formação. Todos nós somos influenciados pelos exemplos que vivênciamos na nossa infância. Tudo aquilo que vemos repetidamente, nós aprendemos a fazer.
  3. A programação que vem através de episódios específicos: As experiências que tivemos no decorrer da nossa vida podem nos condicionar ao sucesso ou ao fracasso. Isso porque uma vez que algo nos machuca o nosso cérebro registra e tenta nos proteger quando uma situação semelhante aparece em nossa vida. É a Lei da Sobrevivência!

O que te limita hoje é o seu cérebro tentando te proteger da dor!

Só que, quando deixamos de fazer alguma coisa para não correr o risco de sofrer, nós também deixamos de correr o risco de ter êxito.

Como Reprogramar a Nossa Mente

Eu escreveria um livro se fosse falar tudo o que você pode e deve fazer para ter uma Mentalidade Mais Próspera, mas aqui eu vou me ater a te passar os principais passos para que você possa mudar a sua crença limitante por uma crença fortalecedora.

Fazendo uma analogia, o nosso cérebro funciona como se fosse um computador.

O que você faz quando o computador começa a dar um monte de problemas? Caaaaalma, não vai formatar ainda! kkkkkkkk

  1. A assistência técnica questiona ao usuário quais são os sintomas do problema;
  2. Analisa o computador e identifica a origem do problema. Identifica o que há de errado no sistema;
  3. Corrige o código do sistema.

Vamos voltar lá para o seu cérebro agora e para ficar mais fácil de exemplificar eu vou te contar sobre o dia em que o meu tio esqueceu o meu presente de aniversário.

Passo 1: Identificar os Sintomas

A primeira coisa que você tem que identificar é quais são os sintomas.

O que está te limitando?

Qual é o primeiro pensamento que te vem à cabeça quando você sente isso?

Eu carreguei comigo durante décadas a crença do Desamor. Eu não me sentia aceita em muitos lugares que eu frequentava antes mesmo de dar espaço para as pessoas me conhecerem e me aceitarem.

O nosso cérebro funciona como um radar, e na tentativa de nos proteger quando identifica um risco, ele cria uma barreira.

“Opa, ambiente novo no pedaço… hum… fica longe aquele rapaz, pois vai te chamar de gorda” … hum, fica longe daquela garota, pois ela é muito popular, não vai gostar de você e vai fazer todo mundo zoar da sua cara” 

Passo 2: Identificar a Origem

Bora lá fazer um Brainstorm do porque você se sente assim… Sente que não tem competência, que não tem valor, que não vai conseguir, que ninguém te ama, que é feia, gorda, chata, etc….

No meu Brainstorm eu identifiquei algumas situações que me fizeram me sentir rejeitada e dentre outras esta foi a mais marcante. O dia que meu tio não levou meu presente de aniversário!

Nós somos em 3 irmãos. O Rodrigo faz aniversário em Setembro (afilhado deste meu tio), eu em Outubro (se quiser me mandar um presente, é dia 19!) e o Welbert em Novembro (o nome dele é meio esquisito, mas ele é um gato!)

Minha mãe fazia uma festa só e, eu me lembro claramente deste meu tio chegando na festa com um presente na mão e eu fui pegar e ele disse “Esse presente não é seu, é do Rodrigo”.

Não sei se o Wilber também ganhou presente ou não, se isso aconteceu uma única vez ou sempre. Nosso cérebro também tem a capacidade de apagar algumas memórias que nos machucam. Então, uma vez que ele deixou esta memória registrada, o que aconteceu depois disso meu cérebro deletou para eu não me machucar ainda mais.

Você pode imaginar o quanto eu chorei, e o quanto a minha mãe ficou triste com tudo isso. Ela deve ter ficado com muita raiva. Só quem é mãe sabe a vontade que temos de pular no pescoço de quem machuca nossos filhos.

E, por alguma razão, ela também não se sentia completamente aceita na família do meu pai. E eu me lembro de ouvir que algumas pessoas da família deixavam a gente de escanteio por sermos mais pobres. Eu sinto até que o meu pai também tinha o mesmo sentimento.

Houve também um carnaval no qual eu era a única que estava de sapatilha preta, todas as outras estavam de sandália branca. Mais uma vez a minha mãe ficou com muita raiva por me ver rejeitada.

Captura de Tela 2016-01-22 às 11.41.30

É preciso ter cuidado para não fazermos isso com nossos filhos, pois a emoção da minha mãe fortaleceu ainda mais o meu sentimento de rejeição.

Se ela soubesse disso eu tenho certeza que ela teria tentado ressignificar dizendo “Nossa, mas a sapatilha preta é muito mais bonita!”, ou “Sua tia não comprou a sua porque ela não tinha o seu tamanho”

Passo 3: Ressignificar, Substituir o Código Errado por um Novo Código

Uma vez que está claro na sua mente qual a informação que gera a emoção negativa em você fazendo com que você tenha atitudes equivocadas. O terceiro passo é ressignificar!

“Hum, talvez meu tio não soubesse que também era meu aniversário!” ou Talvez fosse costume da época levar presente só para o afilhado!”

Por mais que você não consiga ressignificar, você tem que perdoar. O passado acabou. Não interessa mais. Você não pode permitir que uma situação que está enterrada determine quem você vai ser no futuro.

Uma outra forma de ressignificar é buscar situações semelhantes que foram positivas. Caramba, como eu era bem aceita em um determinado grupo de amigos. Eles sempre contavam com a minha opinião e com a minha presença.

Eu tenho valor! Você tem valor!

As crenças se fortalecem quando focamos a atenção em dados que confirmam a visão negativa. Isso afeta a percepção.

Ou seja, precisamos buscar dados que confirmem a visão positiva.

 

Fica com Deus! Nos vemos por aqui!

 

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.