Não vamos tampar o sol com a peneira! A crise arrombou as portas do nosso Brasil e está acabando com muitos sonhos. E se você tem um negócio próprio ou é autônomo certamente deve estar preocupada em como vender mais em tempos de crise.

Você já deve ter se deparado com aquela frase clichê “Em tempos de crise enquanto alguns choram outros vendem lenços”. Encontrar oportunidades no mercado certamente é fundamental para você conseguir atingir os seus objetivos.

Não é atoa que o mercado de Marketing Multinível está crescendo freneticamente neste momento.

Essas empresas perceberam uma grande oportunidade na crise, pois há muitas pessoas desempregadas e sem direção que acabam se encantando com a proposta de ter flexibilidade de horário e ganhos escaláveis.

Mas identificar uma nova oportunidade não basta se você não souber como abordar o seu prospecto e como apresentar os benefícios.

Outro fator importantíssimo e que não pode ser deixado para trás é avaliar se estas oportunidades vão de encontro com os seus valores, com os seus interesses e com as suas habilidades, caso contrário logo você estará sem rumo novamente.

Todo mundo quer e precisa vender, pois sem vendas não existe negócios. Porém estamos em um momento no qual o consumidor está inseguro de onde ele deve ou não colocar o dinheiro dele.

Para vender mais em tempos de crise, você precisa ajuda-lo nesta decisão. Para te ajudar neste processo eu listei abaixo os 7 fatores fundamentais para você realizar vendas em qualquer tipo de negócio.

7 Fatores Fundamentais para Vender mais em Tempos de Crise

1. Você acredita naquilo que você vende?

Há algum tempo atrás eu estava conversando com uma amiga que era da área comercial da mesma empresa que eu trabalhava e no decorrer daquela conversa eu comentei sobre alguns problemas que estávamos tendo a área operacional.

Foi aí que ela me disse o seguinte: “Nem termina de me contar, caso contrário não conseguirei fazer mais vendas”.

Ou seja, ela precisava acreditar que aquilo que ela estava vendendo realmente funcionava, caso contrário a mente dela a bloquearia na hora da venda.

Existem sim alguns vendedores de meia furada por aí, mas até para vender meia furada você precisa saber apresentar a proposta de valor da meia furada para o seu prospecto.

Se você não tiver convicção de que o seu produto e / ou serviço fará uma transformação efetiva na vida do seu cliente ficará muito difícil para você realizar uma venda.

2. De quem você quer ser herói?

Se você quiser vender para todo mundo você vai gastar muita energia para criar vários tipos de discurso.

Você precisa definir claramente quem é o seu público alvo para você ser mais assertiva na apresentação da proposta de valor do seu negócio, produto ou serviço.

Com grande frequência alguém me convida para algum tipo de marketing multinível.

Dias atrás eu parei para refletir porquê eu tenho sido público alvo do marketing multinível e logo consegui perceber que:

sou mãe, e o meu nicho são mães que buscam por um trabalho em homeoffice, então, se conseguissem me persuadir eu já viria acompanhada com um público!

Bingo, com isso em mente eu criei uma nova proposta de parceria para as pessoas que estão tentando se firmar no mercado de vendas diretas em rede.

Aliás, se você está no mercado de marketing multinível e deseja saber mais sobre esta parceria, entre em contato comigo.

3. Qual é a sua proposta de valor?

A primeira coisa que precisamos entender é que venda é uma troca, o consumidor troca seu dinheiro por produtos e serviços.

O que leva uma pessoa a trocar o dinheiro dela que está rendendo no banco por uma Ferrari que ficará trancada na garagem? Certamente o status que esta pessoa carrega como valor primário!

Você sabe quais são os valores do seu público alvo? Quais são as dores e os sonhos do seu prospecto? Como o seu produto ou serviço poderá ajuda-lo?

Se o consumidor não ver valor naquilo que você está oferecendo, certamente não haverá vendas.

4. Porque o cliente deveria comprar de você?

Poucos negócios são exclusivos, portanto certamente você tem concorrentes!

Você já parou para se perguntar porque os seus clientes deveriam comprar de você e não do seu vizinho?

As pessoas não querem fazer negócios com qualquer um, mas sim com quem é especialista naquilo que está ofertando, possui referências, diferenciais e garantias.

Mas aqui não estamos falando somente do produto ou serviço ofertado, mas também de quem está por de trás destes. Você!

Muitas vezes o cliente compra por empatia e não somente pelo produto em si. Outras vezes o cliente compra por reciprocidade.

O que eu quero dizer aqui é que quanto mais você se aproximar do seu prospecto e cliente melhores negócios você fará.

Como está a sua visibilidade? Se o seu prospecto fizer uma busca no google a seu respeito, o que ele encontrará?

É fundamental que ele encontre informações relevantes a respeito do seu negócio e que ele saiba quem é você.

5. Seu cliente sabe disso?

Veja bem, usualmente o cliente recebe o produto ou serviço depois que a venda é efetivada. Ou seja, para vender o que importa não é o produto em si, mas sim aquilo que o cliente sabe sobre o produto.

É obvio que se o produto não tiver a qualidade esperada pelo cliente ele irá pedir reembolso ou reclamar de alguma forma e isso afetará as suas vendas futuras.

Porém no momento da venda o que realmente importa é que o cliente tenha clareza do que ele vai receber, quais são os benefícios e quais são os diferenciais que você pode oferecer.

Aqui é importante que o cliente saiba o porquê o seu negócio é diferente dos outros e o porquê você é diferente das outras pessoas. Porque afinal, como diz o ditado, não basta ser bom, tem que parecer bom.

6. Você aplica a melhoria contínua nos seus negócios?

Se por um lado temos um grupo de pessoas que não querem investir em conteúdo, não buscam por se aprimorar e saem fazendo as coisas sem muito critério.

Por outro temos um grupo de pessoas que compram todos os cursos e não colocam nada em prática!

Para você ser a sua melhor versão a cada dia você precisa se manter em constante atividade e aprimoramento. E mais do que isso, você precisa incluir o seu cliente no processo de aprimoramento do seu produto ou serviço.

Será que ele gostou do que recebeu?

Será que ele tem alguma sugestão de melhoria para você?

7. Como você se relaciona com o seu cliente?

Como a maioria das mulheres, eu amo estética! Mas eu não costumo ser uma cliente fiel na maioria dos lugares que compro ou frequento! Talvez por ser muito exigente… eu acredito que se não está bom, bora procurar outro lugar!

Eu frequento a mesma clinica de estética há mais de 7 anos, pois a minha experiência lá foi boa desde o primeiro contato.

Fui convidada para um café e conhecer a clínica e as opções de pacote. Nunca tive que esperar. Sempre lembraram do meu aniversário (com brindes!). Sempre consegui remarcar horários. Sempre há um pacote adequada para as minhas necessidades e bolso.

Na maioria das vezes eu tive um bom atendimento. E o melhor é que o relacionamento que esta clínica criou comigo, fez com que eu alertasse a dona em momentos nos quais eu não tive um atendimento 100%.

Veja bem, eu não sou uma boa cliente!

O bom cliente reclama quando não é bem atendido nos dando oportunidade de melhorar. Eu não costumo fazer isso, pois na maioria das vezes que fiz me senti “perdendo tempo”, porque ao invés de ter empatia para resolver os problemas as pessoas procuram desculpas.

Ou seja, esta clinica se superou ao conseguir fazer com fale sobre o problema enfrentado, dando à ela a oportunidade de melhoria, não para mim, mas para as demais clientes.

Esses dias eu passei em frente a uma outra clinica, na qual havia um cartaz promocional no qual o mesmo serviço estava 30% mais barato do que na clinica que eu frequento.

Na hora eu pensei, “acho que vou vir aqui, estou precisando economizar”, mas segundos depois eu repensei “não vale a pena, já pensou se o atendimento não for bom e eu ficar presa à clinica com 10 sessões de drenagem”!

Enfim a dica aqui é: você não deve somente buscar novos clientes, mas também assegurar que o seu cliente compre novamente de você.

Para isso além de oferecer produtos e serviços de qualidade, é imprescindível ter um bom atendimento, empatia às necessidades do cliente e uma boa comunicação como os clientes da base.

Você deve “cerca-lo” nas redes sociais para garantir que ele receba a sua comunicação. É fundamental ter empatia com o cliente para entender as necessidades dele ao invés de entrar na defensiva nos casos de reclamação.

Seu cliente precisa saber que você o conhece, que você se lembra dele e conhece as necessidades dele. Ele precisa se sentir importante!

Concluindo,

O nosso cérebro reptiliano tem como função nos proteger da dor.

Esta função serve para evitar que o seu prospecto compre, caso ele não reconheça a sua proposta como um valor para as necessidades dele.

Por outro lado, esta função também serve para assegurar que o seu cliente volte.

Caso a experiência dele com o seu negócio for positiva, certamente ele preferirá comprar novamente com você do que arriscar com outro fornecedor.

O que você achou deste artigo? Deixe nos comentários quais são as suas maiores dificuldades para realizar vendas.

Se você deseja levar o seu negócio para o próximo nível, entre em contato comigo para uma consulta gratuita.

E caso deseje, eu posso te apresentar uma proposta de coaching e mentoria que seja adequada para o seu negócio.

Fica com Deus e nos vemos por aqui.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.