Preciso aprender como enfraquecer os sabotadores.

Esse é o relato de 90% das minhas clientes!

Se é também o seu caso, senta aqui, vamos tomar um café e conversar sobre isso.

No livro “Inteligência Positiva”, o autor Shirzad Chamine traz uma estatística de que apenas 20% das equipes e dos indivíduos conseguem alcançar seu verdadeiro potencial.

Isso porque a nossa mente pode ser a nossa maior aliada ou pior inimiga.

Para aprender a enfraquecer os seus sabotadores em primeiro lugar é preciso conhecê-los.

De acordo com Chamine, todo indivíduo possui, um pouco desses dez inimigos internos que criam padrões de comportamento como resposta a situações corriqueiras da vida.

Esses inimigos são os sabotadores que estão por trás das sensações de fracasso e de desmotivação experimentadas na vida profissional e pessoal.

O interessante é que estes sabotadores estão diretamente conectados com a Paixão do Eneagrama. Isso significa dizer que quando você conhece a sua personalidade fica muito mais fácil de você descobrir aonde você precisa colocar o seu foco para se desenvolver e driblar os seus sabotadores com mais assertividade.

Quais São os Sabotadores:

  1. O crítico

Confundido como a voz da razão, o crítico é considerado o principal sabotador pelo potencial destrutivo que carrega. Este inimigo da mente faz com que o indivíduo encontre defeitos excessivos em si mesmo, nos outros e nas situações, gerando ansiedade, estresse e culpa. Com equilíbrio, porém, a autocrítica pode ser bem positiva e gerar crescimento pessoal.

Este é unânime! Não venha me dizer que você não é crítica, porque eu sei que é! Seja com você mesma, com as pessoas ao seu redor ou com situações do cotidiano.


2. O insistente

Leva a necessidade de perfeição e de ordem às últimas consequências, gerando, mais uma vez, ansiedade e nervosismo. Tenta convencer a mente de que a perfeição só depende dela e que é sempre possível ser atingida. Como isso não costuma ser verdade, o efeito provocado é o de frustração constante, consigo mesmo e com os outros. Saber a hora de parar de insistir se torna, neste ponto, tão importante quanto a decisão de começar.

Ele é muito mais provável nas pessoas do tipo 1 do Eneagrama.

3. O prestativo

Está sempre tentando agradar em busca de reconhecimento, aceitação e elogios. Este também é um padrão de comportamento das pessoas Tipo 2 no Eneagrama.

O grande perigo é que se você não souber controlar o seu lado prestativo, perderá de vista as próprias necessidades e se ressente.

Este inimigo faz parecer que ganhar afeição é sempre uma coisa boa, mesmo que a qualquer preço. No fim das contas, a frustração acaba sendo sempre a mesma: não dá para agradar a todo mundo ao mesmo tempo.

4. O hiper-realizador

Este é o perfil sabotador que diz ao indivíduo que ele só é digno de validação e respeito se tiver desempenho excelente e realizações constantes. Costuma ser o grande alimentador do vício em trabalho, como se necessidades emocionais e relacionamentos fossem menos importantes. Quem aí nunca se sentiu um workaholic antes? Será que vale a pena?

As pessoas tipo 3 são as que tem maior tendência de se destacarem neste sabotador.

É lógico que todos temos um pouco de cada sabotador e que não necessariamente porque você desenvolveu um determinado sabotador é que a sua personalidade seja a relacionada a este sabotador

5. A vítima

Para ganhar atenção e afeto, este inimigo da mente incentiva reações temperamentais e emotivas em qualquer situação adversa. Oposto ao hiper-realizador, valoriza os sentimentos ao extremo e cria uma sensação de martírio que faz minar as energias mental e emocional. A primeira forma de fugir dessa sabotagem, de acordo com o livro, é entender que a vitimização está longe de ser a melhor maneira de atrair atenção para si mesmo.

Sim, estamos seguindo uma sequência e o tipo 4 tem uma extrema sensação de que sempre lhe falta algo. Tudo e todos fora dele são melhores, portanto ele é a vítima do Eneagrama.

6. O hiper-racional

Colocar a racionalidade acima de tudo, até dos relacionamentos, é a função deste sabotador da mente. Ele alimenta uma impaciência às emoções alheias e faz com que elas sejam vistas como indignas de consideração. O maior problema em ser hiper-racional é a limitação da flexibilidade nas relações íntimas e profissionais, causando um desequilíbrio que nem sempre pode ser consertado só com o tempo.

Correlacionado à paixão do tipo 5 do Eneagrama, que é o mais analítico de todos.

7. O hipervigilante

Ansiedade intensa em relação aos perigos que o cercam é o sentimento que este sabotador desperta em quem o deixa falar alto. O estado de alerta constante gera uma grande carga de estresse que cansa não só o próprio indivíduo, mas também quem está perto.

O que gera stress no hipervigilante (tipo 6) é que ele não se coloca em movimento para mitigar os riscos, fica apenas sofrendo com as terríveis possibilidades que ele imagina que podem acontecer.

8. O inquieto

Está constantemente em busca de emoções maiores e, por conta disso, atrapalha o sentimento de paz e de alegria que poderia ser sentido no presente, caso o indivíduo prestasse mais atenção nele. Perder o foco e a apreciação pelo que está acontecendo agora é a grande ameaça para quem se deixa levar por ele.

Hey there, that’s me! Tipo 7 🙂

9. O controlador

Estar no comando, dirigir ações e controlar situações é a maior necessidade deste perfil sabotador. Ele pode até conseguir resultados em curto prazo de uma equipe de pessoas, mas no futuro gera um ressentimento nos outros que atrapalha as relações e impede que o grupo exerça sua capacidade plena.

O tipo 8 tem muita presença, e se coloca em movimento, mas precisa aprender a ouvir o próximo e planejar melhor suas ações.

10. O esquivo

Foca nas tarefas agradáveis e procrastina tarefas difíceis e desagradáveis.

Evita conflitos e diz sim para coisas que não deseja realmente.
Minimiza a importância de alguns problemas reais e tenta rechaçar outros.
Perde-se em rotinas e hábitos reconfortantes.

Diretamente conectado ao tipo 9, a pessoa que tem este sabotador ativo tem dificuldade em dizer não, pois não gosta de entrar em conflitos.

E agora, como vencer estes sabotadores?

Em primeiro lugar é importante que você saiba que a autosabotagem está te protegendo de alguma coisa.

Esses padrões de defesa foram desenvolvidos ao longo da sua infância como forma de proteção física e emocional.

Shirzad Chamine recomenda centrarmos a nossa atenção nos nossos dois principais sabotadores e cuidar com muito carinho deles. A medida que você conseguir enfraquecer estes sabotadores os demais também serão enfraquecidos.

Para enfraquecer os seus sabotadores o primeiro passo é identifica-los exatamente no momento em que estão invadindo sua mente e comportamentos.

Na maioria das vezes as minhas clientes dizem “Na hora que percebi eu já estava me autosabotando”.

O fato é que para desenvolver esta autoconsciência é preciso fazer no mínimo 3 práticas de mindfulness por dia.

Quer um conselho? Crie ancoragens!

Por exemplo, a hora do xixi!

Sempre que for ao toalete, vá sem o celular e aproveite para respirar. Ou para contar quantos azulejos tem no banheiro, observar quão limpa está a torneira e quais são os seus detalhes, e por aí vai…

Mindfulness significa atenção focada e existem 1.000 maneiras de se praticar, invente a sua!

Praticar mindfulness é o grande segredo para esvaziar a sua mente e fortalecer o seus sábio interno, porém vou deixar aqui duas dicas top para lidar com os seus sabotadores no momento em que aparecem.

  1. Desassociação:

Identifique quais os principais sabotadores você precisa enfraquecer e dê um nome “ridículo” à eles.

Por exemplo, pode pode apelidar o seu Crítico de Zé Mimi. Ou seja você olha para esta voz crítica como uma terceira pessoa.

Isso faz com que você se desassocie do seu sabotador e pensamentos e sentimentos que eles geram.

Sempre que você perceber que o Zé Mimi está entrando em ação, dialogue firmemente com ele.

Exemplo: Ei Zé Mimi, lá vem você dizendo que este artigo não está bom o suficiente.

Com essa prática você começa a tirar suas máscaras e expor os truques desse sabotadores para reduzir o poder que exercem sobre você.

2. De volta ao passado:

Outra técnica muito potente é sempre que perceber que seus sabotadores estão no controle, páre imediatamente o que estiver fazendo, dê um passo para trás (literalmente) e faça 3 respirações profundas.

Isso faz com que você entre em um estado de atenção plena e quebre o rítimo deste momento de tensão.

Pode parecer difícil aplicar esta técnica, mas com a prática diária do mindfulness e meditação você aprende a desenvolver a sua percepção.

Agora, cá entre nós, considerando que os sabotadores estão relacionados com a dor da sua Criança Ferida, o melhor caminho é resolver a questão na fonte.

Portanto, reconectar-se com a sua criança interior, acolher suas dores e fortalecer o seu lado sábio é condição sinequanon, caso você queira de fato levar a sua vida pessoal e profissional para um próximo nível!

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.